Realidade Social e Educacional da Comunidade Escolar

A gestão escolar é um processo dinâmico que envolve a tomada de decisões sobre como organizar e administrar a escola de forma a melhor atender às necessidades dos estudantes.

A realidade sociocultural da comunidade escolar e do contexto em que ela está inserida influenciam diretamente as vivências socioculturais dos estudantes e, consequentemente, os seus modos de pensar e agir, favorecendo o desenvolvimento de um pensamento crítico e a construção de uma identidade coletiva. 

Por exemplo, uma escola situada em uma área de grande diversidade cultural pode optar por implementar projetos e programas voltados para a promoção da tolerância e da inclusão social.

Fonte: Pexels Internet

A gestão também pode contribuir para a criação de espaços de convivência e aprendizagem mais inclusivos, até mesmo fora da escola, onde todos os estudantes venham a se sentirem acolhidos e valorizados.

Esses espaços são fundamentais para que os jovens possam se expressar livremente, construindo suas próprias opiniões sobre o mundo e expandindo seus horizontes culturais.

Pensando a educação da comunidade escolar – Projetos Pedagógicos

Os projetos pedagógicos sociais e atuais para a comunidade escolar são iniciativas que visam o desenvolvimento social e educacional da comunidade. Eles são planejados e desenvolvidos por meio de uma parceria entre a escola e a comunidade, com o objetivo de beneficiar os alunos, suas famílias e a própria escola.

Esses projetos podem abordar diversos temas, como saúde e bem-estar, meio ambiente, arte e cultura, esporte, educação financeira, empregabilidade, inclusão social, entre outros. Além disso, podem ser desenvolvidos de forma presencial ou à distância, envolvendo atividades práticas ou teóricas.

Atualmente, existem vários projetos pedagógicos sociais em andamento nas escolas e Instituições públicas-privadas brasileiras. Alguns desses têm como objetivo melhorar o desempenho acadêmico dos alunos, enquanto outros buscam promover a inclusão social e a participação da comunidade na escola.

Alguns exemplos são:

– Projetos Conta pra mim e tempo de aprender: desenvolvido pelo Ministério da Educação (MEC), visa melhorar as condições de aprendizagem através da oferta de recursos pedagógicos viabilizando um processo mais ágil da leitura e da escrita.

-‘Escola Viva’ – Criado pelo MEC, tem como objetivo fomentar a formação técnico-científica do corpo docente do ensino regular, garantindo a permanência de um ensino proativo e de qualidade.

– O Projeto Escola de Pais – Criado pelo Colégio Fênix da rede particular de ensino no Rio Grande do Norte, tem como objetivo favorecer a integração entre a escola e a comunidade dos pais de alunos, abordando temas relativos do cotidiano familiar através de palestras educativas, reuniões interativas e orientações psicopedagógicas.

– O Projeto Crescer voltado para o desenvolvimento do potencial criativo e intelectual dos alunos, oferece atividades formativas e lúdicas para alunos do ensino fundamental do município de Arapongas-PR.

Adaptação na Educação Infantil – O processo de acolhimento

Com o novo paradigma para a educação infantil, as escolas não estão apenas se adaptando aos novos métodos de ensino, mas também se adequando a diferentes alunos.

A maneira como os alunos aprendem hoje mudou drasticamente nos últimos anos devido aos rápidos avanços da tecnologia (ferramentas como apps Google, Skype, webcams e Flipboard) acompanhados da globalização e o multiculturalismo, que permitem que crianças de todas as partes do mundo interajam em níveis mais confortáveis.

Alguns fatores externos também influenciam o ajustamento escolar e a adaptação na educação infantil, como por exemplo: a pobreza, deficiência ou até mesmo o idioma.

A adaptação é um processo longo e acolhedor que exige um ajuste por parte da família, da criança e da escola. É importante que todos os envolvidos entendam como essas mudanças afetarão a vida cotidiana de crianças com deficiências e diversas necessidades, a fim de que esse processo seja tranquilo e benéfico.

As Crianças especiais

A inclusão de crianças com necessidades especiais no ensino regular tem sido um problema de longa data. As crianças com deficiência são impedidas de atingir todo o seu potencial, o que geralmente acontece quando não recebem as oportunidades e os recursos educacionais adequados para prosseguir com sua escolaridade.

A falta de práticas inclusivas na maioria das instituições resultou em uma série de custos impostos ao indivíduo, à sociedade e à economia. Estes incluem um aumento do estresse psicológico e físico para essas crianças, menos oportunidades de aprender com os colegas e mais problemas de desenvolvimento durante a adolescência. A exclusão também atinge a família, os pais principalmente, que se frustram, ficam deprimidos ou até mesmo com raiva de si mesmos por serem pais especiais.

O primeiro obstáculo para os educadores é conhecer as necessidades da criança. Para que isso aconteça, tanto os professores quanto os pais precisam ser informados sobre as deficiências e quais adaptações podem ser realizadas para as necessidades de cada aluno.

O segundo obstáculo está relacionado ao financiamento; a maioria das escolas não tem fundos suficientes para fornecer a todos os seus alunos as acomodações de que precisam, a infraestrutura necessária. Por isso fica difícil para os educadores tentar encontrar uma maneira de contornar isso.

Incluir as crianças com necessidades especiais nas escolas não é uma tarefa fácil de ser realizada e não se resume em só fornecer os recursos físicos para sua integração. Essas Instituições devem ofertar também o apoio aos pais e educadores por meio de projetos educacionais, programas de treinamento, acompanhamento psicológico, etc.

As instituições precisam garantir que seus professores sejam bem treinados e equipados para fornecer-lhes os atendimentos necessários, proporcionando um ambiente de aprendizado seguro e inclusivo.

Considerações finais

Neste artigo, identificamos a realidade social entre a escola e a comunidade, facilitando o entendimento do contexto das práticas integrativas de gestão e sua importância para a formação do processo educacional atual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *