O Futuro do Agro e suas tendências

O futuro do agronegócio tem muito a ver com o futuro da demanda e da produção global de alimentos atrelados a um modelo de Sustentabilidade da cadeia de produção que preserve cada vez mais o meio ambiente.

Com a população mundial projetada para chegar a 10 bilhões em 2050, mais terras serão necessárias para alimentar essa população crescente. O estudo dos solos associado à nutrição das plantas também é um assunto que vem criando relevância nesse processo.

 ◼ O mercado de alimentos e agricultura valem trilhões de dólares anualmente. Com o aumento da população global, este mercado continuará a crescer. As empresas estão interessadas em buscar novas oportunidades nesse mercado e assim o agronegócio tem se tornado uma indústria cada vez mais lucrativa.

◼ Para atender a essa demanda, a indústria de alimentos está cada vez mais adotando métodos agrícolas intensivos e o uso de fertilizantes e pesticidas artificiais. Essa intensificação na agricultura mudará significativamente o mercado, com pequenos agricultores sendo forçados a sair do negócio devido aos altos custos de produção e preços mais baixos para seus produtos, bem como à tecnologia agrícola modernizada, eliminando empregos para trabalhadores de baixa qualificação que trabalham em fazendas, mas deixam cargos mais qualificados, como Veterinários, Tecnólogos, Engenheiros, Pesquisadores e Gestores Ambientais necessários.

Esta seção discute as impressionantes taxas de crescimento que esse setor tem visto nos últimos anos e os principais fatores que impulsionam essas tendências. Ele também explora algumas das inovações que estão moldando esta indústria, o que permitirá maior eficiência, custos mais baixos e padrões de qualidade mais elevados.

Tendências dos Líderes e das grandes Empresas

◼ Os líderes do agronegócio precisarão não apenas ser conhecedores de seu setor, mas também ter um amplo conhecimento do que está acontecendo em diferentes áreas do negócio, aplicando metodologias voltadas aos fatores socioeconômicos e ambientais.

◼ Empresários e empresárias ricos terão que levar em conta as necessidades de seus funcionários e da natureza, bem como administrar suas finanças.

◼ Os líderes do agronegócio estão procurando ser mais adaptáveis nesse ambiente em mudança. Eles estão fazendo uso de novas tecnologias para facilitar a compra de seus produtos pelos consumidores, para que possam competir no futuro do agronegócio

◼ A automação de muitos trabalhos é possível por meio da robótica, bem como recursos de gerenciamento remoto habilitados por dispositivos IoT. As fazendas que estão adotando essas inovações têm mais chances de sobreviver – porque podem produzir produtos de maior qualidade a custos mais baixos sem precisar terceirizar empregos, como temos feito há décadas.

◼ As grandes Companhias do Setor também estão buscando a projeção e a melhoria das rentabilizações de suas ações de Commodities, com a inserção no mercado financeiro da Bolsa de Valores, através das Ofertas Públicas Iniciais (IPOs).

Expansão do Capital Intelectual

O surgimento de um novo capital intelectual na gestão do agronegócio foi introduzido pela industrialização e pela crescente preocupação com o desenvolvimento sustentável e está intimamente ligado à dissolução do sistema agrícola “tradicional” da agricultura, anos atrás, bem como a um novo agronegócio no qual existem diferentes atores.

◼ Os objetivos desse novo capital intelectual são criar um modelo de negócios lucrativo para o agronegócio por meio de transferência e inovação, formar mão de obra mais qualificada para o setor e reduzir os impactos ambientais.

◼ O uso da Inteligência artificial (IA) no setor cresceu exponencialmente na última década. Esse crescimento tão rápido foi impulsionado por muitos fatores, alguns deles: necessidade de sustentabilidade, aumento da mecanização e escassez de mão de obra qualificada.

◼ A IA provou ser uma ferramenta extremamente útil para as agroindústrias que produzem produtos alimentícios. Ela pode automatizar a análise e o processamento de dados que, de outra forma, seriam demorados e trabalhosos. Além disso, a IA aumenta a eficiência e ajuda a eliminar erros humanos. A inteligência artificial poderia ser usada como uma extensão da inteligência humana em vez de uma substituição devido à sua capacidade de combinar inteligência humana com inteligência de máquina;

◼ Para entender melhor o surgimento desse novo capital intelectual, foi preciso que a mão de obra se qualificasse para poder utilizar essa inovação de recursos dos sistemas e estruturas que moldam a produção e a gestão do conhecimento agrícola. Logo, vimos surgindo uma nova leva de profissionais e gestores mais especializados e também uma predominância da faixa etária mais jovem no comando da cadeia produtiva.

Conclusão

Em 2017, vimos alguns desenvolvimentos significativos tanto na produção de alimentos quanto na distribuição. Passados 5 anos, estamos presenciando as inovações de forma mais direcionadas do que antes, apesar das dificuldades. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA está disponibilizando um novo conteúdo no formato online sobre a “Visão de Futuro da Agricultura Brasileira” numa perspectiva para 2030, disponível no site: https://www.embrapa.br/visao-de-futuro .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.